Quem são os gigantes de Gênesis 6:4? E os “filhos de Deus?”.

“Ora, naquele tempo havia gigantes na terra; e também depois, quando os filhos de Deus possuíram as filhas dos homens, as quais lhes deram filhos; estes foram valentes, varões de renome, na antiguidade”. (Gênesis 6:4 RA).
As Testemunhas de Jeová ensinam que os “gigantes” de Gênesis 6:4 são o resultado da união de mulheres com anjos. Baseiam-se no verso 2, onde existe a expressão “filhos de Deus”, que eles atribuem referir-se aos anjos e também citam o verso 1 do capitulo dois de Jó para provarem seu ensino. Vejamos o que a Bíblia diz sobre isto.

Gigantes (hebraico nefilim) – Estes gigantes não foram o produto de uniões matrimoniais mistas, como é sugerido por alguns. A versão LXX traduz “nefilim” por “gigantes”, palavra cuja grafia é exatamente igual em Português.

Em números 13:33, os Israelitas informaram que se sentiam como meros gafanhotos em comparação com os “nefilim” que a Versão Revista e Atualizada (RA) traduz por “gigantes”. Há razões para crer que esta palavra hebraica pode provir da raiz “nafal”, e que os “nefilim” (gigantes) eram “violentos” e terroristas, mas gigantes devido ao seu físico.

Naqueles dias os seres humanos eram de grande estatura. Por regra geral, os antediluvianos estavam dotados de grande vigor físico e mental. Esses indivíduos, renomados por sua sabedoria e habilidade, persistentemente consagravam suas faculdades intelectuais e físicas para complacência de seu próprio orgulho e prazeres e na opressão de seus próximos (Patriarcas e Profetas, págs. 67, 70,78). [1]

Filhos de Deus – Esta frase tem sido interpretada de diversas maneiras. Alguns antigos comentaristas judeus, os primeiros pais da Igreja e muitos expositores modernos têm pensado que estes “filhos” foram anjos, e os compararam com os “filhos de Deus” de Jó 1:6; 2:1; 38:7. Deve-se repelir este ponto de vista, porque o castigo que de pronto sobreviria se deve aos pecados de seres humanos (ver verso 3) e não de anjos. Ademais, os anjos não se casam (Mateus 22:30).

Os “filhos de Deus” não foram outros senão os descendentes de Sete, e as “filhas dos homens” as descendentes de Caim, (cainitas ímpios).Posteriormente Deus falou de Israel como sendo seu “primogênito” (Êxodo 4:22), e Moisés disse aos Israelitas: “Filhos sois do Senhor, vosso Deus”. (Deuteronômio 14:1) [2].

Que pela graça de Deus, não só os israelitas tenham sido filhos de Deus; mas que nós também, a partir de uma entrega total de nossa vida a Cristo, sejamos dignos de sermos chamados “filhos e filhas de Deus”.

Portanto, tal ensinamento (anjos unindo-se com mulheres) é espúrio á Bíblia; toda doutrina que não está em conformidade com o Sagrado Livro é falsa e não merece crédito.

Considerações Finais:

O termo “Filhos de Deus” na bíblia refere-se aos anjos e também aos homens; vai depender do contexto do verso.

No caso de Gênesis 6:4, refere-se aos descendentes de sete, um homem justo; já no livro de Jó, refere-se aos anjos.

Deus não deu aos anjos a capacidade de reprodução; portanto, em hipótese alguma poderiam ser eles os ‘filhos de Deus’ que possuíram as ‘filhas dos homens’.

4 comentários:

Elizeu Rodrigues disse...

O dilúvio foi universal? Tem a ver com essa questão...

Unknown disse...

Bom eu tenho uma dúvida que acredito ser bem comum. Se existiram gigantes,existiram também dinossauros?

Anônimo disse...

bom nao existiu, pq se nao deus os teria conservado juntos com outros animais

Anônimo disse...

na arca